O Conselho Australiano de Igualdade de Gênero (AGEC) entrevistou 10.000 meninas e meninos em escolas de sexos diferentes Queensland, com o objetivo de esclarecer conceitos populares comuns sobre diferenças na autoconfiança de meninos e meninas adolescentes e, consequentemente, de mulheres e homens no local de trabalho. O novo estudo revolucionou o entendimento até então, ao demonstrar que, quando colocadas nas situações certas, as meninas têm o mesmo nível de autoconfiança que os meninos.

“Não há nenhuma evidência de que haja uma diferença biológica”, disse Terry Fitzsimmons, do Centro AIBE para Igualdade de Gênero no local de trabalho da Universidade de Queensland, ao Sydney Morning Herald. “Muitas dessas coisas com as quais estamos lidando no local de trabalho estão relacionadas à socialização em casa e na escola”.

Australian Gender Equality Council - Estudo confirma não haver diferença entre autoconfiança de meninas e meninos
Dr Terry Fitzsimmons

“O que isso mostra, realmente importante, é que existe um ambiente em que tudo o que motiva essa diferença entre meninos e meninas adolescentes não está acontecendo”, disse Fitzsimmons. “Achamos que é o primeiro estudo desse tipo a estabelecer um conjunto de critérios em que essa lacuna não se sustenta”.

roksolana zasiadko 33118 unsplash - Estudo confirma não haver diferença entre autoconfiança de meninas e meninos
Photo by Roksolana Zasiadko on Unsplash

O estudo conclui que apesar de os níveis de confiança de meninas e meninos serem similares em escolas de mesmo sexo, o estudo constatou que a autoconfiança diminui tanto para meninos quanto para meninas à medida que envelhecem. Estudos anteriores descobriram que, dos 9 aos 80 anos, as mulheres têm menos confiança do que os homens.

Logo, falta de autoconfiança? É situacional e cultural, não biológico!

Em vez de culpar a falta de confiança para as mulheres estarem em posições de liderança menos do que os homens, vamos olhar para mudar o ambiente em que as jovens e as mulheres crescem, pois as questões culturais são intrínsecas no reflexo de identidade do eu, inclusive para gerar tamanha confiança distinta como demonstrado.

 

COMPARTILHAR
Nathi Cristi
Nathi Cristi é mãe realizada e esposa apaixonada, advogada e empresária como profissão e blogueira e modelo fotográfica nos tempinhos de folga!

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS